segunda-feira, 13 de abril de 2009

Quais os melhores tecidos para um bom sling?

VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL: www.inventus4u.com.br

Desde que comecei a confeccionar slings passei a pesquisar vários tipos de tecidos, sempre visando o conforto e a segurança do bebê, sem esquecer da praticidade para a mamãe. Por isso, achei importante criar esse post a fim de relacionar os tipos de tecidos e suas principais características.


Sempre que vou criar um sling procuro tecidos que possuam certas qualidades, como:

  • frescor - se é um tecido arejado ou não, se a pele consegue transpirar e se não causa alergia
  • resistência - algo muito importante em se falando de carregar um bebê!
  • maciez - tão imprescindível quanto a resistência, o tecido jamais deve irritar ou pinicar a pele delicada do bebê, muito menos causar desconforto à mamãe.
  • resiliencia - essa palavra eu não conhecia, rs: "propriedade do material de retornar à forma ou posição original uma vez cessada a pressão sobre o mesmo", ou em outra palavras: se amassa muito ou não (para quem, como eu, odeia passar à ferro, kkkkkk!)
  • caimento - o que confere ao sling um toque elegante
  • peso - considerando que a mamãe terá todo o peso do bebê em suas costas, o tecido deve ser algo o mais leve possível.
  • tingimento - o tecido deve ter as cores bem firmes, para que não desbote e não solte tinta com o manuseio


Então, vamos conhecer um pouco mais dos tecidos utilizados para a confecção dos slings BabyLeve:






Viscose
(Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre)



Viscose é uma fibra artificial de celulose, fabricada a partir de cavacos de madeira de árvores pouco resinosas ou do línter da semente do algodão. É formada uma pasta celulósica que por extrusão em fieiras e com o contato de outras soluções é feita a fibra. Em 1905, a Courtauld's começou a produzir raiom de viscose.



Principais características:


  • Brilho: conforme desejado

  • Tingibilidade: podem ser utilizados grande parte dos corantes usados no algodão, menos enxofre

  • Lavabilidade: não precisam de lavagens muito longas;

  • Elasticidade: é mais alta que as fibras naturais, porém é inferior quando comparada ao algodão e seda;

  • Resiliencia: É baixa por amarrotarem facilmente, contudo são faceis de se passar de acordo com o livro (Anell livro fibras, fios e tecidos associação das lavandeirias);

  • Semelhante ao algodão, porém possui melhor toque, caimento, cor mais intensa, melhor textura;

  • É um tecido muito macio ao toque.




Crepe
(Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre)


Definição: Crepe (do francês crêpe, "crespo") é um tipo de tecido muito leve, de aspecto ondulado, feito com fios altamente torcidos (natural ou sintético).



Tipos de crepe:
Crepe cetim: variante acetinada de crepe da China
Crepe da China: crepe de seda, liso ou estampado, originário da China
Crepe de lã: crepe feito de lã torcida
Crepe Georgette: crepe de seda ou de fio sintético, originário da França
Crepe Marrocain: originário do Marrocos e semelhante ao crepe da China, porém mais encorpado
Crepe Mousse: crepe francês de textura granulada
Crepe Romain: crepe italiano semelhante ao crepe Georgette
Crepe Susette: similar ao crepe Georgette, mas com fios torcidos numa só direção
Crepom: crepe de algodão plissado ou ondulado, com aspecto semelhante ao de papel crepom



Os slings BabyLeve são confeccionados em dois tipos de crepe: o crepom e o crepe de viscose.


Abaixo, um exemplo de um sling em crepom marrom.





Veja como esse tecido é arejado, pois percebe-se sua transparência. Esse tecido é ideal para um Acqua sling - pra você entrar com seu bebê na praia ou na piscina - pois ele seca muito rápido.



Tenho disponibilidade de várias cores nesse tecido: rosa, rosa bebê, laranja, azul claro, azul marinho, bege, lilás e amarelo.







CHIFFON
(Por Leonize Maurilio - 13/06/ 2008 )



O chiffon é um tecido extremamente leve e fino, produzido pelo ligamento de fios bem torcidos, o que lhe dá um toque creponado. Pode ser feito de várias fibras, tais como: a seda, a lã, o poliéster, a poliamida, entre outras – estará em evidência no próximo verão (p/2009).
Palavra francesa que significa trapo, o uso do chiffon nas décadas de 50 e 60 era muito comum na forma de lenços e eram usados como acessórios de moda. Mais tarde passou a ser utilizado também na confecção de blusas, vestidos e saias.
Tecido resistente e de caimento perfeito, o chiffon combina perfeitamente com o clima de verão, pois transmite uma sensação de leveza.


Veja uma amostra desse tecido:




No momento, não temos nenhum sling em chiffon.


Linho



Fibra têxtil das mais antigas que se conhecem, o linho já era utilizado por povos pré-históricos de algumas regiões da Europa central e pelos egípcios, para envolver as múmias, como vestimenta dos sacerdotes e para cobrir objetos sagrados. Difundido pelos romanos, propagou-se por toda a Europa e passou a ser cultivado em muitas partes do mundo.

O linho (Linum usitatissimum) é uma planta herbácea da família das lináceas cuja altura pode passar de um metro. As folhas, dispostas de forma alternada, são pequenas e lanceoladas; as flores têm cor azul-celeste e os frutos, capsulados, contêm de cinco a sete sementes ovaladas, ricas em substâncias oleaginosas das quais se extrai o óleo de linhaça, empregado na fabricação de tintas e vernizes e como sedativo.

Das hastes do linho se obtém a fibra, apreciada por sua resistência, flexibilidade e durabilidade, e por ser mais forte e secar mais rapidamente do que o algodão. A luz solar pouco afeta essa fibra, que pode ser descolorida por processos químicos até o branqueamento.
Originário da Ásia, o linho foi levado para a África, mais tarde para a Europa e a América. Para seu cultivo se requer solo fértil e profundo, com irrigação abundante e clima temperado. O processo de transformação do linho compreende várias etapas, a começar pela decomposição do caule, que é posto de molho em água por alguns dias para separação das fibras; em seguida vem a maceração, para retirar a fibra das hastes; a fiação e por fim a tecelagem.

Tenho encontrado vários tipos de tecido em linho; há uns que pinicam e são decisivamente impróprios para a confecção de sling. Prefiro os que são macios e com mais resiliencia (que amarrotam pouco). Veja um exemplo de linho nessas qualidades:



azul marinho canelado



Anarruga

Fazenda leve de algodão, raiom ou seda com uma superfície de listras enrugadas. Essa superfície se cria quando conjuntamente se tecem fibras de coeficientes de encolhimento distintos.

Esse tecido é muito prático, pois não precisa-se passá-lo à ferro.
Sling em tecido anarruga na cor creme (disponível):





Cambraia



Tecido de algodão, muito leve e com espessura fina. Ideal para climas muito quentes. Esse tecido também pode ser usado para a confecção do acqua sling (p/praia e piscina).


Veja duas amostras dos tecidos em cambraia à disposição:






Tricoline



Tecido de construção de tela com a leveza e a resistência do algodão penteado mercerizado, atende a um mercado cada vez mais sofisticado e exigente em tecidos leves, especialmente nos segmentos de camisaria.

Esse é um sling em tricoline na cor caqui:

Outras cores disponíveis: lilás, marrom, azul claro, bege, verde musgo e azul royal.


CURIOSIDADES SOBRE OS TECIDOS


FIO PENTEADO: no sistema penteado o fio passa por um equipamento que se chama penteadeira. Este equipamento tem a função de retirar as fibras mais curtas (antes de se formar o fio) e impurezas como cascas, que são provenientes do algodão e não foram retirados em processos anteriores. Este processo confere um fio de qualidade superior, visto que este é mais limpo, não possui fibras curtas, e é mais resistente. Tem menos Neps, e forma menos pilling na malha acabada. Porém devido à retirada de mais fibras no processo, a perda de algodão para a produção do fio é maior, o que juntamente com a inclusão de mais um equipamento no fluxo produtivo eleva o custo de fabricação e conseqüentemente o preço do fio, sendo este o fator principal para o encarecimento do fio penteado.



MERCERIZAÇÃO: Processo desenvolvido em 1884 por um tingidor de morim, jonh Mercer, de Lancashire, Inglaterra, tratamento com hidróxido de sódio concentrado que é aplicado ao fio ou tecido de algodão o qual proporciona um brilho acentuado, maior afinidade com corantes, toque mais macio, maior resistência e maior encolhimento, portanto é um fio (ou tecido) que já foi extensamente beneficiado para proporcionar menos encolhimento nas próximas lavagens. O processo requer um maquinário caro e leva bastante tempo; daí a explicação de ser uma malha mais cara.



OUTROS TECIDOS INTERESSANTES (para, quem sabe, futuros slings...)


MICRO MODAL: fibra composta de 100% da mais pura celulose (o liocel). Micro Modal corresponde a todas exigências humanas e ecológicas e é produzida exclusivamente a partir de celulose tratada sem cloro. Micro Modal não contem concentrações de substâncias nocivas, é livre de pesticidas e não causa irritações cutâneas. Tecido de alta maciez, brilho, caimento e transpira quase 50% da umidade. Na coleção, a fibra é utilizada juntamente com o Algodão para elaborar malhas para os artigos underwear, uma vez que provoca a sensação de conforto e maciez altíssimos para um vestuário íntimo e que fica em contato constante com a pele humana.
POLYOCELL: o Polyocell é a mistura de três fibras naturais: Lyocel, Modal e o Poliéster. Esta fusão proporcionou um resultado perfeito, ou seja, as três fibras combinadas alcançaram os melhores índices de conforto, durabilidade, estabilidade e tudo isso com fácil manuseio.


RAYON: Rayon é uma fibra química artificial, derivada da celulose. Os tecidos dessa procedência caracterizam-se por serem altamente absorventes, confortáveis, suaves, de fácil tingimento e apresentam um bom caimento. Seus usos são os mais variados,desde a confecção de roupas (vestidos, camisas, calças, roupas esportivas e lingerie), artefatos de cama, mesa, banho e tapeçaria.

Raiom ou rayon é o nome da seda artificial. O denominação foi escolhida num concurso para encontrar um novo nome para o tecido, em 1924, e o vencedor foi Kenneth Lord.
Em 1912, foram produzidas as primeiras meias de "seda raiom". Em 1916, chegaram ao mercado as primeiras peças íntimas feitas com raiom, logo seguidas pelas peças externas. A produção de raiom vem aumentando ano a ano desde a década de 20.
O raiom é feito de celulose, tem bom caimento e alta absorção, o que permite boa tintura.


TACTEL ® fibra DuPont Sudamerica S/A: tecido 100% poliamida é um tipo de microfibra o qual sua estrutura possui fios texturizados a ar que o capacita ser de alta secagem e alta transpiração. A fibra possui padrão internacional de qualidade dos fios DuPont. O tactel é um tecido que não retém o suor e seca rapidamente quando exposto ao sol.

TENCEL: nome fantasia da fibra liocel. Fibra celulósica proveniente da polpa de madeira de árvores que são constantemente replantadas e o processo químico utiliza um solvente totalmente reciclável, por isso chama-se de uma fibra Ecologicamente Correta. O liocel representa a grande novidade entre as matérias primas têxteis, possibilita um tecido que alia a resistência do algodão, o toque e a maciez da seda e o perfeito caimento e frescor das fibras celulósicas.

4 comentários:

Rebeca Romcy disse...

Sonia ! Adorei teu trabalho!
Parabéns!
Beijos!
Rebeca

Raquel disse...

Bastante esclarecedoras suas explicações. Obrigada.

Erikinha Cristina disse...

Qual o tamanho do tecido para fazer um sling em casa e a arogola tem que ser qual material

Canguruzando disse...

Oi, Erikinha! O tamanho usual é 2,00m X 0,70m mas vai depender também do tamanho da mãe (e do papai) que irão usar o sling; pessoas mais graúdas é melhor fazer um sling mais longo, do tipo 2,50m ou pessoas miúdas, de no máximo 1.60m de altura e em torno de 50kg, então fazer um sling com 1,70m de comprimento... A largura do sling não precisa ser maior que 70 cm, pode ser até mesmo de 60cm que não haverá prejuízo. Quanto à argola, pode ser de metal soldada ou as de nylon, que são mais leves, porém mais caras também. Abrçs e espero ter ajudado.